• Como criar e fazer a manutenção do seu modelo de smart grid

um consultor em gestão de energia com um capacete de proteção em frente a uma janela e uma central elétrica

Utilities em todo o mundo enfrentam os desafios colocados por uma Smart Grid que podem ter impacto na sua missão de fornecer energia fiável, segura e eficiente. Um modelo em tempo real da infraestrutura da rede de distribuição é um componente essencial da implementação de estratégias de rede inteligente de sucesso. Criar um modelo fiável requer dados completos, corretos e atuais. Uma pesquisa recente indicou que menos de 5 % das utilities têm confiança na qualidade dos seus dados. 

A implementação das seguintes práticas pode ajudar a criar um modelo de rede inteligente:

Best Practices: Adotar uma avaliação altamente focada dos requisitos de dados com base em drivers de negócio identificados
Além de gerir a procura e otimizar os recursos de energia renováveis, as utilities devem melhorar a gestão de interrupção, minimizar as perdas de rede, melhorar a gestão de ativos e atender a exigências regulamentares rigorosas. Encontrar maneiras de abordar estes objetivos requer um grande volume de dados e uma maneira de geri-los.

Um Sistema de Gestão de Distribuição Avançado (ADMS) de elevado desempenho unifica os dados do Sistema de Gestão de Distribuição (DMS), do sistema SCADA e do Sistema de Gestão de Interrupção (OMS) para manter um modelo de rede em tempo real. Utilizando este modelo, o ADMS realiza uma análise avançada e controla os dispositivos de rede para fazer face aos desafios da rede inteligente.

Best Practice: Alocar recursos e tempo para a melhoria necessária da qualidade de GIS e de outras fontes de dados
As utilities geram uma quantidade cada vez maior de dados que podem residir em mais de um sistema de software. Um sistema de informação geográfica da empresa (GIS) pode fornecer uma “única versão da verdade” para facultar dados consolidados e harmonizados que poderão servir muitos departamentos. Um GIS suporta a gestão de ativos e reduz a duplicação de dados e erros de transposição associados, melhora a qualidade dos dados e simplifica a manutenção da base de dados.

Para criar um modelo de rede robusta, um ADMS requer dados de GIS precisos, juntamente com outros dados: dados de equipamentos detalhados, dados de carga e de clientes críticos, pontos de monitorização e controlo SCADA associados a dispositivos, internos de subestação, condutores ou dispositivos a serem construídos e previsões meteorológicas.

Verificar e corrigir dados de todas as fontes é fundamental – quanto mais precisos forem os dados, mais preciso o modelo e as análises resultantes serão.

Melhores Práticas: Preparar as fontes de dados necessárias para a implementação do ADMS, usando o controlo de qualidade adequado e correção de erros dos dados da fonte
A preparação de dados de Gis
pode significar a adição de detalhes ao GIS ou puxar dados necessários de outras fontes de dados de origem. Se a qualidade dos dados está em falta, isso pode causar problemas para as operações ADMS. As regras de validação podem ajudar a manter o GIS atualizado, ao assinalar dados em falta, ao assegurar a conectividade e ao verificar a consistência da fase e da tensão.

Alinhar os dados de ADMS com informações de campo é crucial mas pode ocorrer em fases para se ajustar às prioridades empresariais: Certifique-se de que os condutores de energia e dispositivos estão no modelo e inclua dados necessários de equipamentos, dados de carga, pontos de SCADA e internos da subestação. Faça o controlo de qualidade e correções aos dados para aplicações básicas como estimativa de fluxo e estado e depois faça o mesmo para as aplicações avançadas como localização de falhas e reconfiguração de rede.

Atualizar os dados de ADMS mantém o modelo de rede atual. Uma utilitie deve fazer alterações dentro do GIS e importar novos dados na ADMS com a frequência necessária, em função da importância de quaisquer mudanças de infraestrutura de rede.

Melhores Práticas: Implementar os processos empresariais e mudar a gestão necessária para criar e validar o modelo ADMS, incluindo funções dos utilizadores e programas de formação Um ADMS baseia-se em dados que são tão semelhantes às condições reais de mudança quanto possível para manter um modelo de rede preciso para um desempenho de smart grid. Garantir que dados completos, corretos e atuais continuam a alimentar o modelo requer uma ampla aceitação e participação da empresa. Para manter uma dedicação à integridade dos dados, uma utility precisará de ajustar os seus processos empresariais, implementar uma iniciativa eficaz de gestão da mudança, definir os papéis do usuário e fornecer formação.

Melhores Práticas: Dedicar os recursos necessários para atualizar e manter o modelo
Manter um modelo de rede em tempo real requer um compromisso significativo, mas um modelo de rede de distribuição correta e totalmente implementado pode proporcionar retornos substanciais de desempenho de rede inteligente.

Saiba como gerir grandes volumes de dados em seu benefício. Descarregue o white paper da Schneider Electric “Melhores Práticas para Criar o Seu Modelo de Rede Inteligente”.
Saiba mais